27 agosto 2017

Resenha: Mil Beijos de Garoto

Título: Mil Beijos de Garoto
Autora: Tillie Cole
Editora: Outro Planeta
Gênero: Romance | Drama
Ano: 2017
Páginas: 400
Skoob

Tem livros que são capazes de nos despertar vários sentimentos durante a leitura, não é mesmo? Mil Beijos de Garoto é um desses!

É impossível com o desenvolver da história não se emocionar, não se ver envolvida e apegada aos personagens. Meu coração quase explodiu quando concluí a leitura. Foi lindo, triste, doloroso, apaixonante e inesquecível. Terminei a leitura em prantos, obvio, e com a sensação de saudade, porque Poppy e Rune são personagens incríveis.

Poppy e Rune se conheceram quando tinham apenas 5 anos, e desde então são inseparáveis. Poppy acaba perdendo sua avó, e antes de partir, a mesma lhe dá um pote onde Poppy deveria encher com mil beijos de garoto. Mas os beijos deveriam ser aqueles de parar o coração. E é então que Rune promete que todos esses beijos lhe pertencerão.
“Era por isso que ela era tudo para mim. Minha para sempre e sempre. Porque ela era única. Única em uma cidade repleta de cópias de peruas burras. Ela não queria ser animadora de torcida, nem falar mal dos outros, nem caçar garotos. Ela sabia que me tinha, tanto quanto eu a tinha.
Éramos tudo de que precisávamos.”
De melhores amigos, Poppy e Rune se tornaram namorados. Eles se pertencem e se completam. É como se tivessem destinados a se amarem desde sempre. Mas a vida acaba por separá-los.

Rune precisa retornar para Noruega com sua família, já que seu pai precisou ser transferido para lá novamente. E é claro que Rune não recebe nada bem a notícia, afinal, ele terá que deixar seu grande amor para trás, e, a verdade, é que deixar Poppy nunca esteve em seus planos. Mas como é inevitável, ele acaba se mudando.

Mesmo distantes um do outro, ambos continuam mantendo contato, mas após algum tempo Poppy some, sem nenhum motivo e explicação. Rune acaba ficando sem saber o que aconteceu para que ela não respondesse mais suas chamadas e mensagens. E se antes ele já estava revoltado por ter que mudar, agora que teve seu coração partido, tudo piora.

Poppy teve seus motivos para sumir sem justificativas. Ela na verdade só estava tentando proteger Rune, mas a verdade é que se esconder só piorou as coisas.

Depois de dois anos Rune está de volta e está irreconhecível. O garoto que Poppy amou desapareceu. Então se encontrar com ele nos corredores da escola, ou até mesmo vê-lo do lado de sua casa era doloroso, já que Rune parecia estar tentando ao máximo se manter distante dela.

“A luz desse Rune era fraca, nada nele brilhava forte. Era obscurecida por sombra e imersa em escuridão. Era como se o garoto que amei tivesse sido deixado de lado na Noruega.”

Rune não consegue aceitar os dois anos de silêncio, e acaba por confrontar Poppy. Ele precisa saber os motivos que a levaram se afastar de repente, agora só resta saber se ele estará preparado para a verdade.

“[...] Poppy havia mudado. Eu havia mudado. Tudo havia mudado.
 E eu não sabia como me ajustar.”
Que livro!!!

Fiquei dias enrolando, pensando no que eu poderia escrever sobre um livro que me desestabilizou e me deixou sem chão. E a conclusão que eu cheguei é que eu posso escrever, escrever e escrever, e nada chegará aos pés do que essa leitura foi para mim.

Um livro lindo, que fala de fé, amor, esperança, expectativas, aceitação, destino... Tem suas partes tristes, é claro, mas a gente acaba por tirar algumas lições.

“Ela era a minha flor de cerejeira.
[...] Nunca esquecida. Porque nos lembra de que devemos viver. De que a vida é frágil, mas, nessa fragilidade, há força. Há amor. Há propósito. Lembra-nos de que a vida é curta, que nossa respiração é contada e que nosso destino é fixo, independentemente do quanto lutamos.
Lembra-nos de não desperdiçar um só segundo. Viver intensamente, amar mais intensamente ainda. Caçar sonhos, buscar aventuras... capturar momentos.
Viver lindamente.”
Terminei o livro apaixonada e com meu coração transbordando de amor por Rune e Poppy. Eles foram feitos um para o outro, e isso fica nítido desde o instante que se viram pela primeira vez. E com base nisso vocês podem imaginar o quão incrível eles são juntos, não é mesmo?

Um salve para Poppy e sua fé inabalável. Foi lindo acompanhar sua jornada, e foi incrível poder presenciar sua sabedoria, compreensão e aceitação sobre sua vida e seu destino. E o que falar de Rune? Foi espetacular ver o seu amadurecimento e ver como ele lidou com tudo. Estou apaixonada por esses dois!

A edição está linda! A Editora está de parabéns! Fez um trabalho incrível para uma história mais incrível ainda.
Amei infinitamente, e se querem um conselho, leiam esse livro o quanto antes.

“– É como música – ela explicou. – Quando olho para você, quando você me toca, quando vejo seu rosto, quando nos beijamos, meu coração toca uma música. Ele canta que precisa de você como eu preciso de ar. Ele canta que eu te adoro. Ele canta que encontrei a parte perfeita dele que estava faltando.”

Comente com o Facebook:

2 comentários :

  1. É bem isso Taty, a gente pensa, pensa e por mais que escrevamos aqui o que realmente sentimos com a leitura, a verdade é que é difícil explicar. Cada leitor precisa passar por esta experiencia. Eu chorei do inicio ao fim, mas confesso que o epilogo me incomodou, até agora não sei o que achar, mas enfim. Gosto do fato dele levantar este questionamento em mim.

    Beijos Joi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Epílogo foi meio inesperado.. Eu tenho a mania de ler o final da maioria dos livros que estou lendo, e bem, quando eu li o final de Mil Beijos, acreditei que tudo terminava bem kkkkk Fui iludida.
      Mas com certeza é uma leitura inesquecível.

      Beijos e obrigada pela visita <3

      Eliminar

A Culpa é dos Leitores - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados