07 outubro 2017

Resenha: Fraude Legítima

Título: Fraude Legítima
Autora: E. Lockhart
Editora: Seguinte
Gênero: Suspense e Mistério | Jovem Adulto
Ano: 2017
Páginas: 280
Resenha postada originalmente no Blog Clã dos Livros.

Meu primeiro contato com a escrita da autora E. Lockhart foi em Mentirosos. Terminei a leitura dele completamente sem chão, sério, não estava preparada para o desfecho. Então é claro que eu fiquei superempolgada em poder ler a prova antecipada de Fraude Legítima, e gente a mente dessa mulher não tem limites. Que imaginação!!! Fiquei mais uma vez embasbacada com o desfecho de suas histórias.

O livro começa a partir do penúltimo capítulo, é isso mesmo. O livro começa pelo fim. Bem interessante, não é mesmo? E mais interessante ainda é a trama que autora criou.

Aqui somos apresentadas a duas jovens, Jule West e Imogen Sokoloff.
Jule e Imogen são órfãs, mas vivem em mundos completamente diferentes. Enquanto Imogen tem o "mundo" aos seus pés, pois é milionária – já que foi adotada por um casal muito rico, Jule não tem uma vida fácil, a verdade é que ela está acostumada a ter que se virar para sobreviver e se adaptar.

Ambas se conheceram na escola e depois de anos se reencontraram e se tornaram melhores amigas.

Immie está fugindo das responsabilidades, como faculdade e família, e tendo o dinheiro que tem ela acaba viajando para alguns lugares levando consigo Jule. Elas se tornaram inseparáveis, até que Imogen comete suicídio.

“Queria que houvesse alguém que a amasse incondicionalmente, que lhe perdoasse por tudo. Ou melhor, que já soubesse de tudo e a amasse por isso.”

Agora Jule está sozinha e com uma herança para gastar, já que Imogen deixou tudo para ela. Só que Jule está se passando por Imogen, o que a levou a isso? E é a partir daí que a história fica interessante, afinal, quem seriam elas?

No primeiro capítulo somos apresentados a Jule e como a história é contada de forma inversa, demorei um pouco para me sintonizar e começar a compreender qual era a proposta da autora. Com capítulos curtos e uma escrita instigante, a autora acaba nos prendendo.

Jule é uma anti-heroína e nos prova isso a cada capítulo. Confesso que não consegui me identificar com ela e com nenhum outro personagem, mas é inegável que são personagens interessantes e que me fizeram adorar a história e o desfecho, mesmo tendo ficado confusa em alguns momentos, mesmo achando que eu estava certa sobre algo, só para logo mais tarde descobrir que a história era ainda mais eloquente do que a minha imaginação.
“Jule se sentia livre de culpa e pesar, como se tivesse trocado de pele. Ela se via como uma justiceira solitária, uma super-heroína de folga, uma espiã. Era mais corajosa do que qualquer um naquele hotel, mais corajosa do que Londres inteira, muito mais corajosa do que uma pessoa normal.”

E. Lockhart mais uma vez me surpreendeu com sua imaginação e com a criação de personagens tão distintos.

Apesar do livro ter duas personagens principais, ele é focado em Jule. Narrado em terceira pessoa, e de forma retroativa vamos aos poucos entendendo as personagens e os mistérios que as cercam.

Um suspense inteligente que vai envolver os leitores desde o primeiro capítulo, ou melhor, desde o penúltimo capítulo.

Gostei muito de Fraude Legítima, e preciso dizer que a capa e o título condizem muito bem com a proposta da autora para sua história.

Se estão em busca de um thriller, com mortes inesperadas e anti-heroínas, fica aqui a minha recomendação.

Comente com o Facebook:

Sem comentários :

Enviar um comentário

A Culpa é dos Leitores - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados